Amor Fati: A Fórmula da Grandeza Humana

O que é Amor Fati?

O Amor Fati é a fórmula do estoicismo para a grandeza humana.

“Aceite as coisas que o destino lhe trás, e ame as pessoas que o destino te aproxima, mas faça isso de todo o seu coração“. – Marco Aurélio.

Aprender sobre a filosofia estóica é um grande prazer por três motivos:

  1. As ideias do estoicismo são simples, mas seu valor é profundo;
  2. Apesar de milenares, as ideias permanecem atuais;
  3. As lições são práticas e podem ser aplicadas agora.

O Amor Fati é uma das várias ideias valiosas deixadas pelos pensadores do estoicismo.

Na prática, o Amor Fati significa uma mudança simples e rápida na forma como você enxerga a realidade.

Contudo, não se engane: essa pequena transformação será eficaz para quem deseja aproveitar 100% de uma vida plena.

Atenção!

Escrevemos esse artigo para você finalmente entender com clareza o que é Amor Fati.

Se você mantiver sua atenção até fim desta leitura, você estará pronto para aplicar esse conceito filosófico na sua vida ainda hoje.

Para facilitar a explicação, dividimos esse artigo em 3 partes:

  1. O que é Amor Fati?
  2. O Amor Fati no Estoicismo.
  3. A Visão de Nietzsche Sobre o Amor Fati.

O que é Amor Fati?

O que é Amor Fati?

Amor Fati é uma expressão que vem do Latim e significa “Amar ao Destino“.

Na prática, o amar o destino é uma atitude mental sobre como enxergar a vida.

Para você entender melhor, pense sobre o seguinte exemplo.

Viktor Frankl, um sobrevivente do campo de concentração nazista em Auschwitz, aplicava a filosofia do Amor Fati de uma forma bastante simples:

“Você não pode controlar o que acontece com você na vida, mas sempre pode controlar o que sentirá e fará a respeito do que acontece com você.”

Para Frankl, manter vivo o “amor ao destino” foi o ponto principal que lhe ajudou a sobreviver às dificuldades e adversidades desse momento terrível.

É assim que usamos os conceitos de filosofia:

  • Não para exercer mais controle sobre o mundo…
  • …mas para assumir a responsabilidade que o destino nos trás…
  • …e para reagirmos a ele da forma mais sábia possível.

Em outras palavras…

Estoicismo: Fuga Mundi

Exercitar o Amor Fati significa aceitar de peito aberto todos os acontecimentos da vida:

  • Tanto aqueles que trazem felicidade, prazer e boas memórias…
  • Como aqueles que trazem tristeza, sofrimento e angústia.

À primeira vista, isso pode parecer um otimismo exagerado.

Mas a verdade é que quando os eventos já aconteceram, não existe nenhum benefício em encará-los de forma negativa.

Se por um lado a negatividade jamais mudará o passado, por outro lado o otimismo é capaz de melhorar a forma como vivemos o agora.

Se isso pareceu muito “coach” para você, saiba que as ideias dessa filosofia são muito mais antigas do que parecem…

Amor Fati no Estoicismo.

Amor Fati

O criação da filosofia “Amor Fati” costuma ser atribuído aos pensadores do estoicismo.

O filósofo escravo Epicteto já falava sobre isso:

Não procure que tudo aconteça como você deseja, mas sim que tudo aconteça como realmente deve acontecer – então sua vida será serena“.

O imperador romano Marco Aurélio foi também um dos maiores pensadores do estoicismo.

Veja agora o que ele escreveu em um dos seus diários:

“Nada do que ocorre na hora certa para você chega muito cedo ou muito tarde. Tudo o que suas estações produzem, ó Natureza, é fruto para mim. É de você que todas as coisas vêm, e todas as coisas se movem em sua direção”.

Há mais de mil anos, Sêneca também escreveu:

O homem não é afetado pelos eventos, mas pela visão que ele tem deles“.

É por isso que o Amor Fati é a mentalidade estóica para tirar o melhor proveito de tudo o que acontece.

É sobre tratar cada momento – não importa o quão desafiador ele seja – como algo a ser abraçado, não evitado.

Mas foi um filósofo alemão que viveu pouco tempo atrás que aprofundou-se nos pensamentos sobre o Amor Fati, e criou uma nova forma de enxergar tal conceito.

Nietzsche e o Amor Fati.

Amor Fati

Imagine a seguinte situação.

Você acabou de morrer, mas uma oportunidade única lhe foi dada.

Na sua frente existem duas portas.

Atrás da porta número está o fim completo da sua existência.

O ponto final.

Por outro lado, atrás da porta número 2 está a chance de repetir a sua vida mais uma vez, e depois ainda outra vez…

E assim a sua vida será vivida por você repetidamente pelo resto da eternidade.

Qual seria a sua escolha? (deixe o seu comentário).

Foi com uma proposta bastante parecida com a descrita acima que Nietzsche usou da ideia de Amor Fati para criar sua Teoria do Eterno Retorno.

Amor Fati e o Eterno Retorno.

Como parar de procrastinar?

Em suas próprias palavras, Nietzsche explicou:

“Se algum dia ou noite um demônio lhe disser: ‘Esta vida como você a vive e a viveu, você terá que viver mais uma vez e inúmeras vezes mais‘ … você se jogaria no chão, rangeria os dentes e amaldiçoaria o demônio que falou assim? Ou, por outro lado, você responderia: ‘Você é um deus e nunca ouvi nada mais divino”.

Segundo a filosofia de Nietzsche, jamais devemos nos esconder do destino, nem ocultá-lo ou desejar que ele seja diferente.

Muito pelo contrário: devemos abraçá-lo, dispostos a viver a mesma vida quantas vezes ela se repetisse.

Isso porque, afinal, a vida é tudo o que realmente temos.

Minha fórmula para a grandeza é o amor fati: não deseje nada diferente, nem para a frente, nem para trás, nem em toda a eternidade. Não apenas suporte o que é necessário, muito menos se esconda – todo idealismo é mentiroso diante do que é necessário.

Reflita Comigo.

O que é Epistemologia?

Veja um breve resumo daquilo que você acabou de ler:

  1. Exercitar o Amor Fati significa aceitar de peito aberto todos os acontecimentos da vida, sejam eles felizes ou tristes;
  2. Grandes pensadores da antiguidade (incluindo um dos maiores imperadores de Roma) acreditavam que abraçar e amar o destino era a única forma de viver uma vida 100% plena.
  3. Nietzsche usou a ideia estóica de Amor Fati para uma nova proposta: o Eterno Retorno.

Agora, compartilhe a lição mais proveitosa que você tirou dessa leitura.

Aguardo seu comentário.

Até o próximo texto.

Leia Também:

8 comentários em “Amor Fati: A Fórmula da Grandeza Humana”

  1. Amar ao destino é realmente necessário, uma vez que dele não podemos nos esquivar. Ao compreendermos essa premissa estóica tão valiosa, a dor, a doença, e por fim, a morte, não são mais percebidas como castigos ou maldições, e sim como parte de uma vida completa, em sua plenitude. Parabéns por mais esse ótimo texto!

  2. Texto lindo. Me faz pensar em como aplicar num mundo capitalista, onde o amor é ao dinheiro e não a vida. Interessante pensar em Nietzsche como um ser anti-capitalista, mesmo até às dores do capital fazendo parte da aceitação do destino.

  3. O Eterno retorno de Nietzsche é extraordinário, 1. Te faz avaliar atitudes, pois geram as consequências, que por sua vez serão eternamente repetidas. 2.Te faz ter um olhar positivo sobre os acontecimentos da vida, já que não só não podemos mudar como também serão infinitamente vivenciados, então aceita que dói menos. RS.. Muito bom.

  4. Texto ótimo e bastante interessante a ideia por trás do Amor Fati. Entretanto, se torna um pouco nebuloso conseguir integrar essa concepção de vida quando não se acredita em destino

  5. Amei essa ideia de viver de novo essa vida várias vezes. Isso faz com que eu queira fazer ela sempre boa, cada vez melhor e mais alegre.

  6. O texto me impactou positivamente. O pano de fundo deste texto é o movimento existencial da natureza, do universo.

  7. Amor fati não foi cunhado pelos estóicos, é uma releitura menos passiva de alguns conceitos e ideais helenísticos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.